terça-feira, janeiro 17, 2006

A regionalização.
Ponto de ordem à mesa. O Carlos pergunta-me se continuo a pensar que a regionalização é desnecessária. Caro Carlos, não sei que te responda. Nestes três últimos anos em Lisboa fui admitindo que, se calhar, devia rever a minha posição e passar a considerar a regionalização uma boa via de desenvolvimento; há, de facto, muitas e boas razões para a defender. Entretanto, nestes três últimos meses de regresso ao Alentejo e fisicamente mais próximo das "elites" da região, já estou mais reaccionário e centralista outra vez; é que o caciquismo oitocentista - hoje, sem outra função que não a alimentação de uma mafiosa teia de clientes dos dinheiros públicos - parece persistir e, convenhamos, essa é uma forte razão para continuar a descrer das virtudes do PREC [Processo de Regionalização Em Curso]!

2 Comments:

At 7:03 da tarde, Blogger Carlos a.a. said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 7:05 da tarde, Blogger Carlos a.a. said...

Ora aí está!!!
Começa assim como dizes...
1 - chegamos ávidos de dar;
2 - constamos a mediocridade do caciquismo e da clientela que a sustenta;
3 - ignoramos essa gente e prosseguimos;
4 - mais tarde vemos que para além de nada fazerem não deixam ninguém fazer;
5 - ...

É assim em todo o país enquanto o regime admitir que os partidos detenham o monopólio do acesso ao poder, já que esvaziados do fundamento ideológico primo, servem apenas servem criar e desenvolver uma rede clientelar de suporte de poder, acima de todos e antes do demais.

 

Enviar um comentário

<< Home